Valho nada

Devo confessar que temas sobre graça&lei&santificação estejam rondando ultimamente minha cabeça, e devo confessar também que idolatria sempre teve no meu rol de leituras, mesmo que despretenciosamente.

O fato é que consigo enxergar facilmente minha inclinação torpe, minha decadência, meu coração numa insistente autoanálise, que meus amigos já conhecem bem.  Ontem mesmo estava pensando a respeito, sondando minhas reações e chateações.

Mas ainda sobre idolatria, admito que é um dos meus maiores receios. Porque até as chateações, reações e até ações têm lá o âmago egocêntrico. De tudo o que fizermos, de todas as nossas afeições, é válido o questionamento. Digo que sou “entusiasta de significação”, justamente porque mergulho nos “porquês”. Nos enxerguemos, sejamos sinceros, somos feios interiormente, o que me deixa maravilhada com a graça.

Por hora, fico com o pensamento atido aqui. Vai que motivo a ti  se analisar também…
Depois volto com a continuação.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s